É um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacionais. A iniciativa é fruto de esforço conjunto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e CAPES –, e das Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

Quem pode participar?

Alunos de graduação e pós-graduação, além de pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil e estabelecer parcerias com pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias do programa. O programa também cria oportunidades de treinamento especializado no exterior para pesquisadores de empresas.

Bolsas concedidas

O projeto prevê a concessão de até 101.000 bolsas de estudo em quatro anos, para que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior e mantenham contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação.

 

Modalidades de bolsas no exterior

Graduação, tecnólogo, desenvolvimento tecnológico, doutorado sanduíche, doutorado pleno, pós-doutorado e mestrado profissional.

Os requisitos para conseguir uma bolsa de graduação no exterior

Ser brasileiro ou naturalizado;

Estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no Brasil em cursos relacionados às áreas prioritárias do Ciência sem Fronteiras;

Ter sido classificado com nota mínima do Enem de ao menos 600 pontos, considerando os testes aplicados a partir de 2009;

Possuir bom desempenho acadêmico;

Ter concluído no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso de graduação.

Há candidatos com preferência?

Sim. Agraciados com prêmios em olimpíadas científicas no país ou exterior, ex ou atuais bolsistas de iniciação científica ou tecnológica do CNPq (PIBIC/PIBITI) ou do PIBID da CAPES.

Áreas contempladas

Engenharias e demais áreas tecnológicas;

Ciências Exatas e da Terra;

Energias Renováveis;

Tecnologia Mineral;

Formação de Tecnólogos;

Biotecnologia;

Petróleo, Gás e Carvão Mineral;

Nanotecnologia e Novos Materiais;

Produção Agrícola Sustentável;

Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;

Fármacos;

Biodiversidade e Bioprospecção;

Tecnologia Aeroespacial;

Ciências do Mar;

Computação e Tecnologias da Informação;

Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);

Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;

Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;

Os benefícios são

Mensalidade de bolsa, auxílio-instalação, auxílio material didático, passagens aéreas e seguro saúde.

Os valores podem ser consultados aqui.

Duração da bolsa

12 meses, podendo estender-se até 18 meses quando incluir curso de idioma. O prazo de curso de idioma é apresentado na chamada, variando de acordo com o país e o acordo firmado com a universidade no exterior.

As instituições de destino no exterior

Estudantes e pesquisadores do Ciência sem Fronteiras terão treinamento nas melhores instituições e grupos de pesquisa disponíveis, definidos prioritariamente pelos principais rankings internacionais como os mais bem conceituados em cada grande área do conhecimento.

Os parceiros no exterior são organizações tradicionais no campo de colocação e suporte de estudantes ou consórcios das principais universidades locais. Os parceiros são responsáveis por definir, juntamente com a CAPES e o CNPq, os melhores cursos e instituições em seus respectivos países. As instituições são avaliadas a cada chamada e o destino dos bolsistas é adequado mediante o retorno do relatório dos bolsistas.

Dúvidas sobre as chamadas de graduação sanduíche?

Entre em contato com o Fale Conosco no portal do Ciência Sem Fronteiras ou na Central de Atendimento 0800-616161.

Quer saber quais são as chamadas de graduação abertas neste momento?

Clique aqui para acessar as inscrições e resultados.